• ATTENTION DEFICIT AND HYPERACTIVITY DISORDER, DISTURBS OF BEHAVIOR AND HUMOR

    As dificuldades comportamentais, de atenção e de regulação do humor são frequentes na infância e podem constituir tarefas de desenvolvimento – e como tal serem temporárias – ou constituírem dificuldades mais permanentes que necessitam de uma intervenção específica. Estas dificuldades são cada vez mais frequentes e implicam, na maioria dos casos, um impacto negativo na vida pessoal, familiar e escolar de crianças e adolescentes. São objetivos deste grupo de profissionais dar resposta clínica integrada, envolvendo a criança/jovem, a família e a escola, numa abordagem Multimodal. Esta intervenção vai da avaliação aos programas específicos. O processo de avaliação tem como objetivo último a realização de um diagnóstico que é enquadrado com o percurso de desenvolvimento e com fatores ecológicos. Os programas de intervenção são sempre delineados em função das necessidades individuais de cada criança/adolescente, sua família e contexto escolar, social e comunitário. Deste modo, o núcleo apresenta um conjunto de programas de avaliação/intervenção de natureza direta (como por exemplo o treino de autocontrolo, intervenção ao nível das perturbações do humor e da ansiedade, métodos e hábitos de estudo; treino de competências pessoais e sociais), a Intervenção Parental (formação, treino e suporte parental na gestão do comportamento) e a intervenção no contexto escolar (deslocações às escolas). Paralelamente o núcleo dedica-se, com regularidade, à realização de ações de formação específicas, bem como a atividades de investigação, relacionadas à prática clínica desenvolvida.

    Para dar resposta a estas situações, o PIN tem uma equipa especializada com técnicos de diferentes áreas profissionais - medicina, psicologia, educação especial e reabilitação/ psicomotricidade, que intervêm de forma multidisciplinar.

    Áreas de Tratamento

    • PHDA
    • Comportamentos de Oposição e Desafio
    • Perturbação da Conduta
    • Perturbação Bipolar Pediátrica
    • Perturbações de Ansiedade
    • Depressão na Infância e Adolescência
    • Perturbação da Coordenação Motora

    ADHD

    Opposition and Challenge Behaviors

  • AUTISM SPECTRUM DISORDERS AND COGNITIVE DEFICIT

    As Perturbações do Espetro do Autismo (PEA) são perturbações do neurodesenvolvimento que partilham entre si várias características essenciais, nomeadamente, dificuldades na comunicação e na interação social, associadas a comportamentos e interesses repetitivos, estereotipados e restritivos. A manifestação destas características, bem como o nível de desenvolvimento cognitivo e da linguagem pode apresentar uma grande variabilidade e pode levar a quadros clínicos com discrepâncias significativas.

    Diagnosticando-se com maior frequência e numa idade cada vez mais precoce, estima-se que 1% da população tenha uma PEA

    As PEA afetam significativamente o modo como a criança/adolescente percebe o mundo à sua volta, se comporta, brinca, comunica e se relaciona com os outros, com um impacto negativo na sua vida pessoal, familiar, escolar e social. O Núcleo de Perturbações do Espetro do Autismo e Défices Cognitivos do PIN existe para ajudar as crianças/adolescentes com PEA, as suas famílias, a sua escola e a comunidade em geral, a responderem aos vários desafios que estas condições clínicas implicam. Com uma equipa de especialistas de diferentes áreas profissionais (medicina, psicologia, educação especial, reabilitação psicomotora, terapia da fala e terapia ocupacional), o Núcleo de Perturbações do Espetro do Autismo tem uma ação multidisciplinar e abrangente, desde o diagnóstico e intervenção terapêutica, à investigação e formação de profissionais na área das PEA e perturbações relacionadas.

    O Núcleo dedica-se também a outras perturbações do desenvolvimento, que implicam défices cognitivos ou na autonomia, comportamentos obsessivos e compulsivos ou tiques.

    O processo de avaliação é conduzido em conjugação com a família e a escola, e pretende não só obter um diagnóstico, mas permitir um levantamento de áreas fortes e fracas, que poderão apontar linhas orientadoras para a intervenção. De um modo geral, a avaliação implica a realização de testes diretamente com a criança e recolha de informação através de entrevista e/ou questionários aos pais e educadores ou professores. O relatório de avaliação pretende assim ser um instrumento de caracterização da criança e do seu quadro clínico com recomendações e estratégias para pais e para os profissionais que acompanham a criança ou jovem. O Núcleo de Perturbações do Espetro do Autismo e Défices Cognitivos oferece programas de intervenção específicos, que incluem técnicas cientificamente comprovadas, delineados de acordo com as necessidades individuais de cada criança/adolescente, a sua família e contexto escolar, comunitário e social. Deste modo, o núcleo apresenta programas de intervenção dirigidos diretamente às crianças/adolescentes, envolvendo os pais ou outros cuidadores e intervenção indireta, que inclui reuniões no contexto escolar, ações de sensibilização para os professores e colegas da criança e adolescente. Abrangendo toda a variedade referida em termos de perturbações e de abordagens terapêuticas, o Núcleo investe na área da formação, através de workshops, ações de formação e de sensibilização. O principal objetivo é informar os pais e os profissionais acerca dos sinais de alerta e características das perturbações, bem como dar ferramentas de intervenção através de estratégias práticas e especializadas. Na procura das melhores respostas de avaliação e intervenção, o Núcleo envolve-se em projetos de investigação, de forma autónoma, ou em colaboração com instituições de ensino. Para qualquer esclarecimento relativamente à avaliação e/ou intervenção terapêutica nas perturbações a que se dedica o Núcleo, contacte-nos através dos emails: carla.almeida@pin.com.pt ou ines.leitao@pin.com.pt

    Perturbações do Espetro do Autismo

    • Autismo (Perturbação Autística)
    • Síndrome de Asperger
    • Perturbação do Espetro do Autismo
    • Sem Outra Especificação
    • Dificuldades Intelectuais e Desenvolvimentais
    • Perturbação Obsessivo-Compulsiva (POC)

    Síndromes Genéticas

    • Trissomia 21
    • Síndrome de X Frágil
    • Síndrome de Angelman
    • Síndrome de Landau-Kleffner
    • Síndrome de Cornélia de Lange
    • Síndrome de Prader-Willi
    • Síndrome de Gilles de La Tourette
    • Tricotilomania
    • Dermatilomania
    • Alterações sensoriais
    • Atraso Global de Desenvolvimento

    Entre os vários programas de intervenção destacamos:

    • Treino de autonomia;
    • Treino de competências académicas nas DID e PEA;
    • Treino de competências pessoais e sociais;
    • Treino de regulação e expressão emocional;
    • Treino de autocontrolo;
    • Programa de intervenção na ansiedade associada às PEA;
    • Programas de intervenção precoce no Autismo e outras perturbações;
    • Programa para perturbação alimentar nas PEA;
    • Terapia Cognitivo-Comportamental na POC e Síndrome Gilles de La Tourette;
    • Programa de Integração Sensorial.
  • DYSLEXIA AND OTHER LEARNING DIFFICULTIES

    As Dificuldades de Aprendizagem Específicas (DAE) são resultado de um problema intrínseco, de origem neurológica, que subsiste ao longo da vida e caraterizam-se por uma perturbação nos processos psicológicos envolvidos em áreas particulares como a leitura, a escrita, a caligrafia ou o cálculo matemático, interferindo de modo significativo em atividades quotidianas que envolvam estas componentes. Neste sentido, assumem-se como um obstáculo para o progresso escolar das crianças e adolescentes, com efeitos nocivos a médio e longo prazo em termos cognitivos, comportamentais, sociais e emocionais que merecem ser incluídos no processo psicoeducativo. O Núcleo das Dificuldades de Aprendizagem Específicas do PIN é composto por uma equipa de profissionais especializados de áreas de formação como a psicologia, a educação especial e a educação especial e reabilitação. Esta equipa é responsável pela avaliação multidisciplinar e acompanhamento especializado e individualizado de crianças e jovens com dificuldades escolares, bem como, das suas famílias e professores. Para além da intervenção nas dificuldades de aprendizagem específicas, damos também resposta a outras situações como sejam, dificuldades na gestão de hábitos e métodos de estudo, perturbações da coordenação motora ou défices cognitivos ligeiros. Os programas de intervenção são delineados tendo por base um plano de trabalho estruturado em função das necessidades individuais de cada criança ou jovem, da sua família e contexto escolar e social. O Núcleo tem ainda a seu cargo a componente formativa no âmbito das Dificuldades de Aprendizagem Específicas, dirigidas a profissionais e pais.

    As Dificuldades de Aprendizagem Específicas (DAE), como sejam a Dislexia, a Disortografia, a Disgrafia ou a Discalculia, são dificuldades de carácter permanente que têm grande prevalência na população escolar e cujo impacto ultrapassa a esfera académica

  • DISORDERS OF COMMUNICATION, SPEECH AND LANGUAGE

    A linguagem é algo que nos fascina, pois onde há pessoas há linguagem. Até aos dias de hoje, ainda não foi descoberto qualquer grupo de seres humanos que não utilize um código linguístico para comunicar entre si. É-nos mesmo impossível conceber a vida humana sem linguagem, pois é através desse sistema linguístico complexo e dinâmico, convencionado pelas diferentes comunidades, que recebemos, transportamos, organizamos e armazenamos informação, utilizando-o para comunicar, organizar e reorganizar os nossos pensamentos.

    Não nascemos com a capacidade imediata para falar, contudo em pouco tempo e sem esforço aparente a maioria de nós torna-se conhecedor de um sistema altamente sofisticado e complexo.

    Em cerca de 40 meses evoluímos da comunicação através do choro para uma sofisticada comunicação verbal. Tal decorre da exposição e influência da língua falada pela comunidade na qual nos encontramos inseridos.

    O que é Comunicar?

    Por capacidade de comunicar entende-se a faculdade da criança compreender (linguagem recetiva) e de se exprimir (linguagem expressiva). Ou seja, a competência para identificar e nomear objetos e imagens, compreender e definir conceitos básicos, seguir e dar indicações e sequencializar e narrar atividades.

    ``O Terapeuta da Fala é o profissional responsável pela prevenção, avaliação, tratamento e estudo científico da comunicação humana e perturbações relacionadas. Neste contexto a comunicação humana engloba todos os processos associados à compreensão e à produção da linguagem oral e escrita assim como todas as formas apropriadas de comunicação não verbal.``

    Comite Permanent de Liaison des Orthophoniste-Logopedes - CPLOL - 1994

    O que é Linguagem

    É um sistema abstrato de representação, o qual é o constituído por elementos que podem ser sons, gestos ou símbolos, os quais são utilizados para representar conceitos.

    ``O Terapeuta da Fala é responsável pelo diagnóstico, prognóstico, encaminhamento e intervenção nas áreas da fala, linguagem e perturbações da deglutição. Este profissional avalia e intervém com bebés, crianças, adolescentes, adultos e idosos com dificuldades de fala, audição, leitura, escrita e deglutição. O objectivo global é potencializar as capacidades de comunicação e deglutição, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida.``

    American Speech-Language-Hearing Association (2001)

    O que é a Fala?

    É a forma oral da linguagem. Evoluímos do choro, passando pelo balbucio, pela repetição de sílabas, até chegarmos a uma forma de expressão sofisticada de comunicarmos “temos fome”, até à complexidade gramatical e pragmática “gostava tanto de comer um pastel de nata!”. Sem ensino explícito e sem esforço aparente tornámo-nos mestres num dos sistemas mais complexos que se conhece. As famílias e as suas crianças, jovens e adultos irão encontrar neste núcleo um grupo de profissionais especializados nas Perturbações da Comunicação, Linguagem e Fala. Para qualquer esclarecimento relativamente à avaliação e/ou intervenção terapêutica nas perturbações a que se dedica o Núcleo, contacte-nos através do email: jaqueline.carmona@pin.com.pt

    Comunicação

    • Perturbações da Comunicação
    • Comunicação não-verbal
    • Comunicação aumentativa e alternativa

    Fluência

    • Gaguez
    • Taquifémea

    Voz

    • Qualidade da fonação
    • Frequência (pitch)
    • Volume
    • Disfonia

    Fala

    • Perturbações Fonéticas
    • Apraxia
    • Disartria
    • Ataxia
    • Disquinésia

    Cognição

    • Atenção
    • Memória
    • Sequenciamento
    • Resolução de Problemas
    • Funcionamento Executivo

    Linguagem

    • Compreensão e Expressão
    • Fonologia
    • Morfologia
    • Sintaxe
    • Pragmática – uso da língua, aspetos sociais da comunicação
    • Literacia – leitura e escrita
    • Atraso do Desenvolvimento da Linguagem (ADL)
    • Perturbações Fonológicas
    • Perturbação Específica da Linguagem
    • Dislexia
    • Bilinguismo e ADL
    • Afasia

    Audição

    • Processamento
    • Discriminação Auditiva
    • Perda Auditiva e Surdez

    Ressonância

    • Hipernasalidade
    • Hiponasalidade
    • Ressonância mista

    Alimentação e Deglutição

    • Motricidade orofacial
    • Funções motoras orais e faciais
    • Sucção
    • Respiração
    • Mastigação
    • Deglutição
    • Deglutição Atípica e Disfagia
  • INTERVENTION ON THE USE OF INTERNET AND TELECOMMUNICATIONS

    A Internet tornou-se um instrumento de primeira necessidade na sociedade atual. Através dela, podemos ter acesso a um vasto conjunto de informações e de serviços, cujo grande objetivo é o de facilitar a acessibilidade a conteúdos partilhados por milhões de utilizadores em todo o mundo. O termo dependência de Internet foi introduzido no final dos anos 90 por investigadores americanos, ao se depararem com casos de crianças, jovens e adultos que mostravam diversos sinais e sintomas aquando da utilização da Internet e/ou quando privados da mesma. Por utilização de Internet, incluem-se o tempo dedicado a jogos multiplayer online, a utilização de redes sociais (ex. Facebook), a visualização de vídeos no Youtube, como os principais exemplos.

    Apesar da funcionalidade introduzida pela Internet, alguns são os problemas que do seu uso indevido podem derivar, nomeadamente a sua dependência ou o Cyberbullying.

    Dentro dos mais habituais sinais de uso excessivo encontram-se:

    • Uma preocupação excessiva com o mundo virtual;
    • Um excesso de tempo utilizado na navegação da Internet;
    • Uma irratibilidade e tristeza marcadas quando não é possível utilizar a Internet;
    • Alteração do padrão de sono;
    • Diminuição do rendimento escolar

    O Cyberbullying é um fenómeno emergente, que se traduz na coerção ou molestação de indivíduos através da Internet, seja pela criação de sites, pelo envio de imagens comprometedoras ou chantagem online. Desta pressão constante, ampliada pela possibilidade de serem vários os observadores da molestação, resultam sentimentos de ansiedade e depressão muito intensos, podendo inclusivé conduzir ao suicídio.

    Acreditando que a Internet pode ser uma fonte de problemas, mas também de recursos e soluções, o núcleo debruça-se sobre um conjunto de formações junto de crianças, jovens, pais e professores no sentido da prevenção do uso indevido deste meio, mas também para apresentar o potencial benéfico que este pode ter em casa e na escola.

    Por ser uma área recente no campo científico, o núcleo debruça-se ainda em torno de temas de investigação relacionados com a adição à Internet e o Cyberbullying, incluindo como participantes crianças, jovens, pais e professores.

  • SLEEP DISORDERS

    Diversos estudos mostram que as Perturbações do Sono nos adultos surgiram muitas vezes na infância mas que, por não terem sido devidamente diagnosticadas, tiveram um impacto de revelo a vários níveis, afetando assim a sua qualidade de vida

    As alterações que o Sono pode sofrer são tão diversas e de tão suma importância que a Medicina do Sono acaba de se constituir como Especialidade Médica também na Europa. Sabe-se que um sono pobre em quantidade e qualidade tem consequências na saúde física, capacidades cognitivas, rendimento escolar e profissional, estabilidade emocional e autonomia, bem como no relacionamento sócio-familiar. Contribui ainda para quadros clínicos de ansiedade e depressão e para o agravamento de perturbações do desenvolvimento já existentes (ex: espetro do autismo e PHDA). O Núcleo de Perturbações do Sono, constituído por uma psicóloga e por uma pediatra com formação específica em Sono e em constante atualização, conta também com a colaboração de outras especialidades médicas, o que permite uma resposta multidisciplinar ao nível da avaliação e intervenção clínicas. O Núcleo aposta em avaliações relativas não só às perturbações do sono (a nível médico e psicológico), como das suas comorbilidades (alterações a nível cognitivo, emocional, comportamental e familiar). A intervenção vai focar então as alterações encontradas, é específica para cada criança/adolescente e adaptada à sua família, procurando dar a melhor resposta ao quadro clínico existente. Paralelamente à atividade clínica, este Núcleo disponibiliza ações de formação para pais, técnicos educativos e técnicos de saúde e aposta também em projetos de investigação, que permitem um maior e melhor conhecimento das Perturbações do Sono. Para qualquer esclarecimento relativamente à avaliação e/ou intervenção terapêutica nas perturbações a que se dedica o Núcleo, contacte-nos através do email: mafalda.leitao@pin.com.pt

    Compreende-se então a importância da intervenção nas Perturbações do Sono, em particular nas mais comuns em crianças e adolescentes:

    • Insónia Comportamental da Infância
    • Pesadelos
    • Terrores Noturnos, Despertares Confusionais e Sonambulismo
    • Sonilóqua (falar durante o sono) 
    • Bruxismo (ranger os dentes)
    • Higiene Inadequada do Sono (hábitos pouco compatíveis com uma boa noite de sono
    • Pernas Inquietas e Movimentos Perióicos dos Membros
    • Movimentos Corporais Rítmicos
    • Enurese Nocturna (“chichi na cama”)
    • Apneia do Sono (pausas na respiração enquanto dorme)
    • Hipersónias (sonolência excessiva)
    • Atraso de Fase (dificuldade continuada em adormecer à hora habitual, sem causa aparente)
  • FAMILY, INTIMACY, AND COMMUNICATION UNIT

    O Núcleo caracteriza-se por ter disponíveis para as famílias do PIN uma oferta de diversos serviços, todos eles com o objetivo de ajudar as famílias e o seu pilar natural – os pais –  a conseguirem face à Vida e algumas problemáticas que podem ter de enfrentar, encontrar em nós e connosco uma resposta de apoio que os ajude a ultrapassar estes momentos mais difíceis e alcançarem um equilíbrio natural.

    • Temos um conjunto de serviços de apoio, ajuda e intervenção para todas as questões associadas à Família e ao Casal.
    • Temos um espaço familiar, acolhedor, para ir ao encontro das suas necessidades.
    • Temos intervenções particulares e individualizadas para cada família, por um grupo de profissionais competentes e especializados nesta área de apoio.

    Para criar/educar uma criança diz-se que se necessita de uma aldeia, nós queremos fazer parte desse processo consigo, num apoio continuado e diferenciado, ajudando-o a alcançar um bem-estar global e um estilo de vida saudável.

    THERAPY AND FAMILY INTERVENTION

    Grupos: O que são e para que servem?

    Com a ajuda do terapeuta e de todos os membros, a terapia de grupo permite descobrir, transformar e enriquecer o modo de relacionamento interpessoal de cada um, através da partilha de experiências comuns, habitualmente determinantes para o seu bem-estar físico e emocional.

    A terapia de grupo pretende proporcionar:

    • Sentimentos de conforto e ajuda, através de um ambiente de suporte, respeito e empatia;
    • Troca de experiências afetivas, permitindo que cada pessoa se observe, reconheça e reinvente na relação com o outro.

    A quem se destina?

    Destina-se a pessoas com disponibilidade psicológica e motivação para:

    • Analisar os seus próprios sentimentos e comportamentos, para ouvir e ser ouvido num contexto de interação afetiva;
    • Repensar aspetos inerentes a si mesmo, que causam sofrimento e comprometem a sua qualidade de vida.

    Como Funciona?

    • Entrevista inicial de esclarecimento dos objetivos e regras de funcionamento do grupo.
    • Constituição do Grupo Terapêutico: Cada grupo fnucionará com um terapeuta e com, no máximo, 10 participantes. O seu modo de funcionamento será acordado entre o terapeuta e os elementos constituintes. Na 1ª sessão em grupo, serão estabelecidas as regras de funcionamento, entre elas a periodicidade e o horário em que decorrerão as sessões.

    Resultados Esperados

    • Obtenção da máxima melhoria sintomática
    • Prevenção/Diminuição da sintomatologia ansiosa e depressiva
    • Reforço dos mecanismos de defesa
    • Melhoria da adaptação social
    • Promoção da auto-estima e da auto-confiança
    • Restabelecimento do equilíbrio psicológico dos participantes
    • Promoção de novos modelos de identificação com os pares
    • Melhoria da socialização

    Os Grupos Terapêuticos pretendem exercer uma função de “contentor” ou suporte para as angústias e dúvidas de cada um, e de todos os participantes, visando sempre a melhoria da Qualidade de Vida.

    Grupos de Casais

    Proporciona-se, num espaço de conforto, o encontro de um pequeno grupo de casais, onde cada casal tem a oportunidade de partilhar as suas dificuldades e os seus receios e, deste modo, o casal, não só recebe apoio profissional, como também recebe apoio de pares e cria uma rede única, minimizando sensações de incompreensão, solidão, entre outras, que muitas vezes assolam o casal.

    Apoio Terapêutico aos Pais

    Caracteriza-se por prestar um auxílio à parentalidade em sofrimento. Existe uma vasta gama de prestação de cuidados, de terapias e de intervenções socioeducativas, para auxiliar simultaneamente os pais que não se sentem bem por causa das dificuldades dos filhos, e os filhos que têm pais que por vezes também lhes criam dificuldades. Criar e educar os filhos é muitas vezes um processo difícil, é nosso objetivo melhorar os comportamentos, diminuir os fatores de risco e aumentar a qualidade de vida relacional da família. Quando existem situações de diagnóstico, muitas vezes, também os prestadores de cuidados precisam de um apoio e de uma aprendizagem que lhes permita uma vida saudável, sem descurarem de si próprios.

    SEXOLOGY AND EDUCATION FOR SEXUALITY

    A Educação para a Sexualidade pretende dar resposta e constituir um recurso no âmbito da Saúde Sexual e Reprodutiva e Planeamento Familiar para todos os adultos em geral (pais, educadores, profissionais) e jovens, nomeadamente, jovens com necessidades específicas. As famílias de crianças, jovens e jovens adultos com necessidades específicas debatem-se frequentemente com ansiedades e receios relacionados com as questões da sexualidade. Conhecer o funcionamento sexual e sentir a sexualidade como algo natural, permitirá a estes jovens exprimir a sua sexualidade de um modo positivo contribuindo para um desenvolvimento afetivo saudável e favorecendo a sua capacidade de relacionamento, melhorando a sua auto-estima e a adequação à sociedade. Os resultados do estudo EPISEX-PT (estudo epidemiológico sobre as disfunções sexuais em Portugal, 2005 mostram que a prevalência global de um qualquer tipo de disfunção sexual nas mulheres portuguesas com mais de 18 anos atinge cerca de 56% e nos homens portugueses com mais de 18 anos regista uma prevalência de 24%.

    TERAPIA E INTERVENÇÃO FAMILIAR

    A Terapia Familiar é uma intervenção apoiada num diálogo que se constrói e desenvolve num tempo, que se inicia pelo estabelecimento de relação entre o terapeuta e a família, e uma avaliação inicial das dificuldades vividas, envolvendo um terapeuta e uma família, que normalmente se encontra em sofrimento.

    É uma procura de novas alternativas, novas visões, que não passa por resolver os problemas ou tentar corrigir erros mas sim, por ajudar a família a reconhecer a sua própria competência, dando-lhe auto-confiança e novas energias para continuarem a sua participação na resolução dos seus problemas.

    O papel do terapeuta, é o de criar um espaço seguro, para que a família se encontre motivada para a mudança.

    O processo terapêutico é diferente porque todas as famílias são diferentes. No nosso núcleo, seguimos um modelo sistémico, que reúne toda a família, ou os elementos que vivem em conjunto, com o objetivo de retratar e situar toda a dinâmica daquela família, existindo espaço para que todos abordem as suas sensações e em simultâneo consigam criar novas relações, novas resoluções. Para nós, a Terapia Familiar não é uma terapia à família, mas com e na família, para os ajudar a reencontrar o equilíbrio e bem-estar, a partir de uma abordagem sistémica, orientada para as soluções e recursos.

    Terapia de Casal

    Neste modo de intervenção, o Núcleo, oferece uma caminhada que permite ao casal, e a cada elemento por si, obter a relação e o amor que querem. É um processo exploratório, reflexivo e trabalhoso, que leva os casais através de um passeio emocional, quer para resolver crises agudas, quer para melhorar simplesmente a vida a dois. Faz-se através de uma análise inicial, das diversas questões geradoras dos conflitos, e depois com o recurso a diversas técnicas (ex.: técnicas de comunicação, role playing, TPC, cartas, discussões guiadas, reencontro intimidade) coloca-se o casal em situações de resolução das diversas questões identificadas.

    Coaching Familiar

    O técnico, ou técnicos, acompanham a família de próximo, durante algumas sessões pré-definidas, durante as quais, nos ambientes em que for necessário (casa, supermercado, escola, etc.), onde se abordam os temas que estão a gerar conflito, ou dificuldades familiares, e de uma forma prática, a família recebe aconselhamento e ferramentas para pôr em prática, durante o acompanhamento (ex.: calendários, agendas, listas de afazeres, listas mensais de tarefas, deadlines). Os temas que muitas vezes são abordados podem ser: stress familiar, falta de tempo, gestão de espaços, horários caóticos, papéis e funções de cada elemento, tarefas diárias, planeamentos anuais, cortes financeiros, etc.).

    Coaching Feminino

    O técnico, acompanha a mulher/mãe/filha de próximo, durante algumas sessões pré-definidas, durante as quais, nos ambientes em que for necessário, abordamos temas que estão a causar conflito, desconforto, dificuldades familiares ou de casal, e de uma forma prática, a pessoa recebe aconselhamento e ferramentas para pôr em prática, durante o acompanhamento. No coaching feminino, alguns dos temas abordados são:

    • Balanceamento entre passado e presente, os novos papéis resultantes da emancipação e os seus sentimentos de culpa e a gestão da nova vida feminina;
    • A lida da casa, partilhada ou não?
    • Peso ideal, dietas e dificuldades;
    • Carreira vs Profissão ou vs Emprego, filhos ou não?
    • Os filhos, educar sem culpa…
    • Igualdade ou diferença de género, como viver com.

    Psicoterapia de Reabilitação

    Consciente dos vários desafios que se colocam ao indivíduo com deficiência e à sua família, o PIN oferece agora uma psicoterapia para ajudar a criança ou adulto com deficiência, no seu processo de integração, tenha esta sido adquirida, causada por uma doença, ou provenha de alguma questão genética. Este tipo de acompanhamento dá à pessoa com deficiência e à sua família, a hipótese de desenvolver um plano reabilitativo, de se ajustar a sentimentos novos e de poder sentir apoio em áreas muitas das vezes negligenciadas. É um método de intervenção que aposta no desenvolvimento de um novo projeto de Vida, ou a adequação do anterior, num compromisso formulado entre o terapeuta, o cliente e os principais prestadores de cuidados.

    Intervenção para Prestadores de Cuidados

    Com esta intervenção, que se centra num modelo mais psicoeducativo ou de gestão acompanhada da Vida do prestador de cuidados, os técnicos do Núcleo, tentam ajudar a pessoa que cuida a aprender a cuidar de si também, a restabelecer distâncias que lhe permitam manter a ajuda aos entes queridos, mas ao mesmo tempo, conseguir ter ou manter um estilo de vida saudável, para conseguir continuar a representar esse mesmo papel. Muitas das vezes os prestadores de cuidados afundam-se em sentimentos de culpa quando reclamam algum tempo para si próprios. Este é outro tema que tem de ser abordado e aletrado junto do cuidador. Durante este tipo de acompanhamentos, os técnicos auxiliam a pessoa a conseguir identificar aspetos da sua Vida que podem ser alterados para ganhar tempo, conseguir cumprir as suas funções, mas também conseguir manter uma Vida própria rica e preenchida. Neste tipo de intervenção faz-se também um trabalho preventivo da depressão, pois muitas das vezes durante a prestação de cuidados a falta de cuidado com o próprio causa situações limite, assim como, por cessação da prestação de cuidados, seja por que motivo for, há de repente um vazio na vida desta pessoa que tem de ser preenchido saudavelmente.

    SEXOLOGY AND EDUCATION FOR SEXUALITY

    Disfunções Sexuais Femininas

    • Disfunção do Desejo
    • Aversão Sexual
    • Disfunção da Excitação Sexual
    • Perturbação do Orgasmo
    • Dispareunia – desconforto/dor na relação sexual
    • Vaginismo

    Disfunções Sexuais Masculinas

    • Disfunção do Desejo
    • Disfunção Erétil
    • Disfunção Ejaculatória
    • Disfunção Orgásmica

    O núcleo desenvolve

    • Sessões de Aconselhamento
    • Ações de esclarecimento
    • Workshops

    Outras temáticas e problemáticas relacionadas com a saúde e com o bem-estar sexual e fatores psicossociais e psicoafetivos associados.

    • Questões de Identidade de Género
    • Orientação Sexual
    • Discriminação Sexual
    • Violência Sexual e Relacional
  • OCCUPATIONAL THERAPY

    Empty section. Edit page to add content here.
    Empty section. Edit page to add content here.
    Empty section. Edit page to add content here.
  • PHYSIOTHERAPY

    A Fisioterapia Pediátrica avalia e intervém em bebés, crianças e jovens com alterações agudas ou crónicas do desenvolvimento psico-motor, que levam a dificuldades da mobilidade, o que pode prejudicar a funcionalidade e participação nas brincadeiras/tarefas próprias da idade.

    Uma intervenção atempada pode ajudar a minimizar os efeitos da incapacidade e a prevenir/reduzir as deformidades, que com o passar do tempo poderão ter consequências mais graves. A abordagem utilizada é individual e personalizada, baseada numa avaliação minuciosa, de modo a identificar as capacidades da criança e os seus principais problemas. A intervenção inclui o ensino aos pais/cuidadores, pois o envolvimento e a participação da família é um aspecto essencial para dar continuidade aos objectivos da intervenção.

    O objectivo da intervenção centra-se no aumento das potencialidades da criança de modo que esta adquira o máximo da sua função e independência integrada na família e comunidade.

    A fisioterapeuta intervém através do brincar, respeitando as competências e preferências da criança. Utiliza o jogo e a função, ou seja o movimento, para captar o seu interesse e encorajar a sua motivação. O correcto manejar e posicionar da criança nos vários contextos do seu dia-a-dia são considerados de forma privilegiada, contribuindo para a aprendizagem de novas capacidades.

    Nas alterações da postura a intervenção inclui técnicas que aumentam a flexibilidade, o alongamento, o fortalecimento e a resistência ao esforço, através de uma reprogramação muscular específica.

    A intervenção inclui:

    A Fisioterapia Convencional com o objectivo de melhorar o controlo postural, equilíbrio, mobilidade, marcha, locomoção, capacidade da criança se transferir e realizar tarefas do seu dia-a-dia.

    O Tratamento do Neuro desenvolvimento/ Conceito de Bobath, baseiado em técnicas de manuseamento e de posicionamento, que facilitam os movimentos que a criança deve utilizar nas suas actividades diárias, sendo necessária a sua participação activa.

    O fortalecimento muscular, que engloba programas de exercícios resistidos progressivos, que pretendem um ganho de força nos grupos musculares mais afectados.

    O alongamento muscular, que inclui programas de alongamentos passivos, activos e contínuos com o intuito de alongar os músculos encurtados.

    Para qualquer esclarecimento relativamente à avaliação e/ou intervenção terapêutica no âmbito da Fisioterapia, contacte-nos através do email: ana.cordovil@pin.com.pt

    A fisioterapeuta pediátrica tem conhecimentos e competências próprios para avaliar e intervir em situações clínicas específicas, tais como:

    • Atrasos do Desenvolvimento Psico-Motor;
    • Paralisia Cerebral
    • Síndromes Genéticos (exemplo: Trissomia XXI);
    • Torcicolo Muscular Congénito;
    • Lesão Obstétrica do Plexo Braquial;
    • Espinha Bífida;
    • Disfunções Respiratórias;
    • Défice Postural (Alterações da postura);
    • Disfunções Músculo-Esqueléticas
  • GRIEF CONSULTATION

    A Consulta do Luto foi pensada para o que de mais comum e incontrolável guardamos ao longo do caminho: a perda. Falamos de perda no sentido mais abrangente: a doença e a perda do eu saudável.

    O divórcio e separações com todas as perdas de expetativas e da família desejada, a morte que tantos silêncios deixa em aberto, por não saber como falá-la...

    Pretendemos, assim, criar uma resposta especializada a investigação e intervenção no luto, divórcio, doença e mudança. A consulta pretende dar voz à dor da perda e dos acontecimentos de vida mais stressores, ajudando a trilhar um caminho de reorganização sem esperar pela patologia.

    A acção da consulta reparte-se pela intervenção directa com a criança/jovem e adulto, aconselhamento na área do luto, divórcio ou outros (esclarecendo, informando, partilhando estratégias) e acções de formação (escolas, centros de saúde, comunidade em geral)

    Objectivos principais

    • Contribuir para a “normalização” da “dor da perda”;
    • Valorizar a intervenção terapêuta (específica) em situações de luto;
    • Divulgar estratéfias/criar programas de intervenção para a educação para a perda e gestão emocional face à mudança;
    • Sensibilizar e formas a comunidade (escolas, famílias, técnicos de saúde…) sobre o processo de luto e perdas diversas;
    • Alargar a intervenção na perda a processos de luto além da morte ocorrida (ex.: doença, luto antecipado, divórcio e separação…);
    • Promover respostas de apoio a crianças, jovens e adultos em processo de luto;
    • Diferenciar respostas de apoio no luto e no “luto complicado”
    • Contribuir para a humanização da intervenção na perda e dos serviços sociais de saúde.
  • PREMATURE CONSULTATION

    A Consulta do Prematuro é um projeto do PIN de acompanhamento a recém-nascidos, bebés e crianças que nasceram antes das 37 semanas de gestação. Os prematuros têm um risco aumentado de perturbações do desenvolvimento, pelo que é fundamental uma vigilância rigorosa e um diagnóstico precoce. O nosso projeto inclui não só os “muito prematuros”, mas também os “prematuros tardios” (34 semanas a 36 semanas e 6 dias), grupo que não está isento de risco, e é muitas vezes esquecido.

    A nossa equipa tem uma abordagem multidisciplinar e inclui Pediatria do Neurodesenvolvimento, Oftalmologia, Otorrinolaringologia, Cardiologia Pediátrica, Nutrição, Fisioterapia, Terapia da Fala, Terapia Ocupacional, Psicologia.

    Um bebé…Uma Família…

    O suporte psicológico e apoio educativo e terapêutico aos pais, numa fase onde as dúvidas, incertezas e inseguranças reinam é a nossa prioridade. Atender às suas preocupações é a nossa razão de ser, e por isso asseguramos um serviço especializado que inclui dificuldades comuns nos bebés prematuros como as perturbações alimentares e do sono.

  • TICS AND OCD

    Waiting for text

    Waiting for text

    Meet The Team

  • PHOBIAS AND OTHER ANXIETY DISORDERS

    Waiting for text

    Waiting for text

    Empty section. Edit page to add content here.
  • NUTRITIONAL ADVISORY CONSULTATION

    The Nutritional Advisory Consultation serves to aid in resolving eating disorders found in children and adolescents.

     

    A nutritionally well balanced diet is fundamental in order to ensure proper physical and mental development, as well as promoting a healthy lifestyle.

     

    It is also intended to prevent, identify and intervene in Eating Disorders in both children and adolescents.

     

    The consultation involves professionals from a variety of areas and, in addition to direct intervention with children, adolescents and families, streamlines activities which are focused on promoting healthy eating habits and a healthy lifestyle.

    - Identify warning signs of eating disorders.
    – Early and effective intervention in eating disorders.
    – Prevent the emergence of eating disorders.
    – Promoting healthy eating behaviors.
    – Educating for healthy lifestyles.
    – Encourage autonomy in the choice of eating habits and healthy life.

  • PEDOPSYCHIATRY

    Waiting for text

    Waiting for text

  • ADULTS' PSYCHIATRY

    Waiting for text

    Waiting for text

    Empty section. Edit page to add content here.
  • GENETIC SYNDROMES CONSULTATION

    Waiting for text

    Waiting for text

    Meet The Team

  • ADOPTION CONSULTATION

    Adotar uma criança é um dos desafios mais altruístas que uma família pode assumir. A adoção implica coragem, persistência, dedicação e uma dose imensa de amor para partilhar.

    A Consulta Adoção foi pensada para todas as famílias corajosas que no decorrer da aventura que é acolher uma criança encontram dificuldades, medos, inseguranças, sobre o desenvolvimento do seu filho e da sua família.

    As famílias irão encontrar nesta consulta um espaço terapêutico promotor da consolidação das novas relações familiares no qual poderão ser trabalhadas um conjunto de crenças, expectativas, lealdades e medos associados ao processo de vinculação.

    Muitas crianças adotadas trazem com elas histórias de abandono, negligência ou abuso que as tornam irrequietas, ansiosas e inseguras na construção de novas relações.

    No âmbito da intervenção da Consulta Adoção e Novas Relações Familiares irão ser desenvolvidas um conjunto de ações de formação associadas à área de intervenção da consulta.

    Os programas de intervenção serão sempre pensados com a família à medida das necessidades da crianças e da dinâmica familiar. Os programas poderão ser focados numa ou mais das seguintes dimensões:

    • Avaliação da dinâmica relacional e vinculação
    • Intervenção familiar orientada à construção de novas relações familiares
    • Intervenção terapêutica focada na história de vida da criança (trabalho de história de vida)
    • Promoção de competências parentais par famílias adotivas
  • SELECTIVE MUTISM CONSULTATION

    Selective Mutism Consultation

    Os programas de intervenção serão sempre pensados com a família à medida das necessidades da crianças e da dinâmica familiar. Os programas poderão ser focados numa ou mais das seguintes dimensões:

    • Avaliação da dinâmica relacional e vinculação
    • Intervenção familiar orientada à construção de novas relações familiares
    • Intervenção terapêutica focada na história de vida da criança (trabalho de história de vida)
    • Promoção de competências parentais par famílias adotivas
  • CONSULTING IN SPECIAL EDUCATION

    Consultancy in Special Education

    The consulting in Special Education arises because of the desire to promote equality of students in schools. Therefore, it is our goal at PIN to help parents understand the process and to assist the schools in procedures. We guarantee to keep updated on the new outcomes and upgrades in the Decree Laws.

    Consequently, the ultimate goal is to promote educational attainment.

    At PIN, we work together with all of the working groups, and so available to all families.

    In case you seek:

    1 – Help to search the best educational path from your children;

    2 – Assistance in the interpretation and the preparation of official documents;

    3 – Get quick and effective solutions;

    4 – Active and positive collaboration between technicians and schools

    Contact us.