" />

Consulta de Luto

No fim da vida, tal como a conhecemos no momento, há sempre muito mais que começa.

O processo de luto é o que de mais universal temos e o que mais tememos falar. O luto não é uma doença mas sim um processo onde o tempo de cada um é respeitado, onde as tarefas a elaborar são mais importantes do que a fase em que se “está”. Fazemos sempre lutos, de perdas menores ou maiores, e por vezes precisamos de ajuda para os integrar.

A Consulta do Luto orienta-se pela integração de várias abordagens, valorizando a que se mostre mais indicada a cada momento do processo e às necessidades que se levantam (modelo Integrativo-Relacional). Afigura-se, assim, como uma resposta a todas as pessoas que enfrentam perdas e mudanças intensas. Falamos de perda no sentido mais abrangente: a doença crónica (como a diabetes, doença oncológica…) e a adaptação a novas rotinas, a antecipação e “preparação” para uma perda eminente, o divórcio e separação, a perda perinatal, bem como a perda por morte.

Pela nossa experiência clínica, considerando ainda os estudos existentes, a tendência de inibir o processo de luto não é irrelevante: adiar, disfarçar, racionalizar, funcionar sem sentir e sem integrar. O desconhecimento sobre o luto nas crianças e adolescentes aumenta esta desvalorização, adiando problemas. Os mitos e obrigações sobre os adultos, em que “há que seguir para a frente”, deixa-os sem respostas de apoio e abre espaço a um luto patológico.

Pretendemos, assim, criar uma resposta especializada a investigação e intervenção nestas áreas. A consulta pretende dar voz à dor da perda e dos acontecimentos de vida, conhecendo o seu impacto e ajudando a trilhar um caminho de reintegração da perda.

  • Avaliação de crianças e adolescentes que apresentam dificuldades actuais e registam uma história de perda ou mudança significativa
  • Intervenção terapêutica no processo de luto (criança, adolescentes e adultos)
  • Intervenção terapêutica no processo de divórcio, com a criança/jovem
  • Promoção de grupos terapêuticos
  • Promoção de acções de sensibilização em escolas e centros de saúde, informando sobre a vivencia dos processos de luto e do seu impacto
  • Aconselhamento a familiares e professores sobre como comunicar e gerir comportamentos
  • Dinamização de projectos de investigação sobre as áreas consideradas
  • A intervenção em doença crónica (crianças, adolescentes e adultos) subdivide-se, ainda, em várias áreas de acção:
    • Ajustamento ao diagnóstico e mudanças decorrentes
    • Promoção da adesão a tratamentos e intervenções
    • Intervenção na dor (aguda e crónica)
    • Aconselhamento educativo, preparando o regresso ao contexto escolar
    • Suporte terapêutico, em fases terminais de doença crónica, ajudando a família e o próprio no processo de antecipação da perda (pode ser feito em contexto domiciliário.

Para garantir a eficácia destes serviços, mantemos uma articulação estreita com a SPEIL (Sociedade Portuguesa de Estudos e Investigação no Luto).

A consulta do Luto está ainda em estreita colaboração com a consulta de Terapia Familiar, atendendo à necessidade que as famílias apresentam, por exemplo, em se reorganizarem nos processos de divórcio.