• 17 MAR 20
    • Pin It

    COVID-19: Dicas e conselhos para casais em tempo de quarentena. Dra. Teresa Carvalho e Dr. Pedro Vaz Santos

    Viver muitos dias no mesmo espaço é um desafio! Por vezes, podemos ter a perceção que o espaço encolhe. O espaço que era suficiente para o casal, parece estreitar-se. E agora?

    Neste momento, a qualidade das nossas relações amorosas é um dos bens mais preciosos que devemos manter e alimentar. Viver muitos dias no mesmo espaço é um desafio! Por vezes, podemos ter a perceção que o espaço encolhe. O espaço que era suficiente para o casal, parece estreitar-se. E agora?

    A nossa proposta é, criar novas rotinas e novas formas de organização de trabalho, tarefas domésticas e momentos lúdicos individuais e de casal, que ajudem ampliar o espaço relacional.

    É importante construir uma rotina, com um quadro mais ou menos definido de tarefas. Aconselhamos a manutenção da regularidade de um conjunto de hábitos. Neste sentido é importante mantermos horas de sono, as rotinas de higiene, de vestir e de refeições, etc.

    É natural que ambos os elementos de casal queiram ver notícias de forma a manterem-se informados. Estamos todos preocupados. Contudo, é importante que o casal combine, os tempos para verificação da informação. Estar sempre ligado, momento a momento à evolução da pandemia, pode aumentar a ansiedade.

    Cada um dos elementos do casal, deve ter presente que o outro tem uma forma própria de gerir a ansiedade, o medo e a preocupação com os mais vulneráveis. É muito importante respeitar as diferentes formas de reação ao perigo e ter a oportunidade de apoiar esse momento, pois ter alguém com quem partilhar um momento que pode estar a ser assustador é essencial.

    Se um ou os dois elementos do casal tiverem teletrabalho, será importante organizar os espaços e os momentos em que cada um está ocupado com a sua atividade profissional. Esta organização irá permitir, definir quais os tempos de trabalho e quais os tempos de lazer e de organização da rotina da casa.

    Fora do tempo de trabalho é importante que cada um tenha momentos para si, momentos de individualidade, para ler, para ver um filme, para estar sozinho.

    O tempo a dois, pode ser organizado em torno de atividades mais lúdicas, ver uma série de televisão em conjunto, organizar um jantar romântico em casa, dançar, jogar um jogo erótico. Há um universo grande de jogos de cartas e de dados para casais.

    O tempo a dois, pode ainda ser tempo de surpresa. Fazer o pequeno almoço e levar à cama. Preparar um banho de espuma. Escrever um poema ou um texto e oferecer.

    O casal pode ainda convidar os amigos para um jogo online! Pode-se, em alternativa convidar para uma conversa em grupo (vídeo chamada). Podemos ser criativos, ir à janela e dinamizar com a comunidade de vizinhos. Apesar de não nos podermos ver pessoalmente, continuamos ligados.

    Podemos estar a viver um paradoxo, como é que os casais, podendo sentir falta de liberdade, se podem sentir livres para estar e para explorar a ligação emocional que os une. O tempo a dois é sempre tempo de conhecimento. No final, o casal estará obrigatoriamente diferente.

    Teresa Carvalho e Pedro Vaz Santos – psicólogos clínicos, com especialidade em Terapia Familiar e de Casal