" />

O medo é um processo adaptativo universal e inato, ou seja, uma espécie de alarme que nos protege de situações potencialmente perigosas. No decurso de um desenvolvimento equilibrado, a criança/jovem passa por fases em que experimenta medo. Isso é saudável, na medida em que é importante que ela aprenda a reconhecer em si as emoções adequadas para reagir a cada situação que enfrenta… e uma dessas emoções é precisamente o medo.

No entanto, há alturas em que o medo se torna patológico, ou seja, causa mal-estar significativo, quer à própria criança/jovem, quer à sua família, interferindo na capacidade de desempenho da criança/jovem em alguma das áreas da sua vida. Quando o medo ganha esta dimensão, estamos perante uma ansiedade.

As perturbações de ansiedade constituem uma das entidades clínicas com maior prevalência na infância e adolescência: estima-se que cerca de 20% das crianças terá uma perturbação de ansiedade ao longo da sua infância/adolescência.

Quando presentes na infância ou na adolescência, há um aumento da probabilidade de desencadear psicopatologia ao longo da vida adulta.

No PIN, encontrará uma consulta que o ajudará a si e ao seu filho a ultrapassar esta ansiedade e que contribuirá para um maior equilíbrio futuro.

Esta consulta promove ainda ações de formação, através das quais divulga a pais e professores informações cruciais sobre as perturbações de ansiedade mais comuns na infância, tais como a ansiedade de separação, de desempenho, social, ou generalizada, fobias específicas ou perturbação de pânico.