" />

A escola é, para qualquer aluno e tal como ele, uma história singular. O PIN-ED existe para garantir que, também na escola, o progresso infantil será bem escrito, fruto da contribuição de todos, transformando campos adversários em lugares comuns. É um universo e todos temos que aprender a olhar as (suas) estrelas.

Sabemos que é muito difícil conjugar a vida familiar com a profissional. Quando estamos em crise e há tanto para fazer, mais difícil se torna. Os Pais sentem-se “perdidos”, sem saber se o percurso escolar dos filhos é o melhor, com dúvidas em relação ao desenvolvimento e formas de gerir o comportamento.

Falar com os Professores nem sempre é fácil, a Direção da escola também tem muito entre mãos, o que complica as tomadas de decisão e vai deixando as dúvidas para “mais tarde”.

Nem todas as dúvidas querem dizer o mesmo e é preciso procurar as respostas certas junto de quem sabe. A equipa do PIN-ED trabalha em escolas há 5 anos e tem protocolos com colégios, infantários e agrupamentos oficiais. Hoje em dia, estamos mais perto de 5000 alunos, dos seus professores, auxiliares e pais.

Estamos na escola para que todos possam esclarecer uma dúvida de forma rápida e eficaz. Fazemos muitos kms para que esta presença na escola seja possível e, quando as crianças precisam de um acompanhamento e os Pais não conseguem ter horário para o levar ao PIN – Progresso Infantil (Carcavelos), as intervenções podem ser feitas nas escolas.

Também trabalhamos em grupo, fora do horário letivo, desenvolvendo atividades que promovem uma boa gestão do tempo, competências sociais, a organização durante as tarefas escolares. Estamos sempre disponíveis para que Professores, Educadores e Auxiliares venham ter connosco a sós ou em grupo. Da próxima vez que tiver uma dúvida, nós estamos por perto.

O Olhar atento não recai sobre a diferença por mais tempo. Terá um outro cuidado, mas é também o Olhar que chega a quem é deixado no portão da entrada de manhã e demora um pouco mais a largar a mão do Pai ou quer prender o beijo da Mãe.

É do Olhar quem tem dores de barriga em dia de teste, quem não gosta do almoço e jura que “é verdade!”, quem brinca no recreio com bolas, berlindes, consolas. Quem não dormiu bem, quem sonhou tudo, quem conta a semana e quem se cala, fazendo do silêncio a sua voz.

O Olhar é de todos por igual, o que acaba com qualquer diferença que afasta e traz ao de cima os talentos de cada um e a certeza absoluta, para todos a mesma, de que “posso ser tudo aquilo que eu quiser ser”.

Sendo um lugar fértil de possibilidades, cabe aos educadores, pais, auxiliares e professores reunir o máximo de condições para que o sucesso represente um caminho de desenvolvimento sustentável. O ganho será de todos.